Informações: (83) 2101-1225 | (83) 2101-1221

IX SEMINÁRIO NACIONAL SOBRE ENSINO DE LÍNGUA MATERNA E ESTRANGEIRA E DE LITERATURA

04 a 06 de novembro de 2015
Universidade Federal de Campina Grande - Paraíba

Grupos de Trabalhos e Minicursos


Ord. Título Coordenadores Ementa
1. Formação de professores de línguas na contemporaneidade Prof. Dr. Marco Antônio Margarido Costa (UFCG)Patrícia Silva de Medeiros (POSLE/UFCG) Este grupo de trabalho visa reunir resultados de pesquisa, concluídas ou em andamento, que abordem questões
relativas à formação do docente em línguas (materna e/ou estrangeiras) na contemporaneidade. Serão
considerados trabalhos que envolvam aspectos ligados à formação inicial ou continuada, à constituição de
saberes, à identidade profissional e a práticas pedagógicas que explorem modos diversos de construir
conhecimento no processo ensino/aprendizagem de línguas.
2. Ensino de língua materna e práticas de letramento na educação básica Profª Drª Maria de Fátima Alves (UFCG)Profª Drª Fabiana Ramos (UFCG) O ensino de língua portuguesa pautado em uma perspectiva sociointeracionista e/ou discursiva de
linguagem não se limita a um trabalho com a leitura como mera decodificação de signos linguísticos, nem a
escrita como atividade escolar, voltada exclusivamente para a percepção do domínio da norma culta, nem
tampouco para a gramática como um conjunto de normas do bem falar e do bem escrever independentemente dos
usos da linguagem. De forma contrária, busca desenvolver os usos da linguagem e as várias esferas sociais em
que as práticas de letramento se materializam. Nesta perspectiva, propomos este GT com o objetivo de
discutirmos a questão do ensino de língua materna na educação básica, focalizando a importância do
redimensionamento das práticas de ensino de língua, de modo que priorize a expansão do letramento dos
alunos, mediante atividades eficazes de leitura e de escrita, em contextos situados de comunicação.
3. Leitura e escrita na cultura digital: pesquisa e ensino Profª Drª Rossana Delmar de Lima ARCOVERDE (UAEd/POSLE/UFCG)Profª Marta Jordanna Queiroz OURIQUES (PMCG) Na era digital as práticas de linguagem se multiplicam, fruto do crescente uso das tecnologias
digitais que evocam diversificados modos de relações interpessoais e de usos das linguagens. Assim, este
grupo de trabalho tem como objetivo refletir sobre as práticas de linguagens na cultura digital, de modo que
se discutam resultados de pesquisas concluídas ou em andamento que focalizem essa temática, acolhendo
trabalhos que realcem práticas ou reflexões teóricas, no sentido de instigar uma compreensão sobre a
educação para os multiletramentos na contemporaneidade.
4. A leitura em língua estrangeira: reflexões teóricas e práticas na sala de aula Profª Drª Rosiane XYPAS (UFCG)Profª Ms. Vivian Monteiro (UFCG) Levando em conta o Parâmetro Curricular Nacional (PCN) em línguas estrangeiras observa-se que a
leitura é fonte de pesquisas inesgotável e extremamente profícua para estudantes e professores das mais
diversas línguas. Sabemos que o conceito de leitura evoluiu bastante, mas que os processos pelos quais se
deve atingir esta habilidade ainda parecem nebulosos e por isto mesmo se constitui um profuso campo de
investigação. Este GT aceita trabalhos que refletam sobre a aquisição desta habilidade no
ensino/aprendizagem de línguas estrangeiras, sobretudo experiências de leitura literária na aula de língua.
5. Gêneros orais: objetos de estudo e de ensino Profª Drª Ana Virgínia Lima da Silva Rocha (UFRN)Profª Ms. Glenda Hilnara Meira Feliciano (UFCG) Os gêneros materializados oralmente podem ser entendidos como meios de inserção sociocultural.
Em diversas situações, das mais formais às informais, a oralidade ocupa papel de destaque nas sociedades
desde o início da construção de nossa história. Desde os últimos anos do século XX, têm se discutido de modo
mais sistematizado as relações entre oralidade e ensino, de modo que documentos oficiais têm abordado o
tema. Nos Parâmetros Curriculares Nacionais de Língua Portuguesa do Ensino Fundamental e do Ensino Médio,
constam orientações – embora pouco desenvolvidas – para o ensino de gêneros orais na escola. Nos guias de
livros didáticos do Programa Nacional do Livro Didático de Língua Portuguesa, o trabalho com oralidade é um
dos itens de avaliação, o que pode servir de incentivo à criação e aprofundamento de propostas de produção
textual em livros didáticos. Nesse sentido, este GT se propõe a divulgar trabalhos acerca de gêneros
materializados na forma oral, enquanto objeto de estudo e/ou de ensino na escola e na universidade. Os
trabalhos se inserem em uma pluraridade de vertentes teóricas, o que pode enriquecer a compreensão sobre a
produção de gêneros orais; porém, compartilham do pressuposto básico de que a língua é interação entre
sujeitos sociodiscursivamente situados.
6. Materiais didáticos em planejamento de ensino Profª Drª Williany Miranda da Silva (POSLE/UFCG) O presente GT destina-se a divulgar resultados de pesquisas e/ou relatos de experiência
utilizando materiais didáticos (textos de ampla divulgação, manuais, blogs, vídeos, etc) com vistas a
reflexão do uso e transformação desses materiais como uma das condições para viabilizar propostas de
planejamento de ensino na educação básica. Além disso, o grupo espera contribuir para a produção de
conhecimento em torno de concepções sobre: objeto de ensino, planejamento e materiais didáticos.
7. Teorias e práticas textuais de letramento acadêmico Profª Ms. Elisabeth Maria da Silva (UFCG/UFMG) Ms. Clara Regina Rodrigues de Souza (POSLE/UFCG) O Grupo de Trabalho busca promover o debate entre as teorizações e práticas de produção textual
realizadas na/ para a academia, como contexto de profissionalização. Espera-se, também, refletir a
diversidade de estratégias textuais e discursivas utilizadas em práticas de linguagem escrita para usos
específicos, contribuindo para a análise dos níveis de ensino e aprendizagem promovidos.
8. Tecnologias no ensino Línguas Estrangeiras Prof. Dr. Cleydstone Chaves dos Santos (UFCG) Este GT contempla estudos diversos voltados para o uso de tecnologias modernas inseridas no
ensino de Línguas Estrangeiras (LE). Neste âmbito, é de interesse deste GT o diálogo entre a linguística
aplicada e as mais variadas tecnologias através da inserção da internet no cenário de LE, sejam elas:
dicionários online; tradutores automáticos; aplicativos para smartphones e
tablets; sites de corpus paralelo; sites de busca e pesquisa etc.
9. Sociolinguística e o ensino de línguas: interfases, diálogos e pesquisa Profª Drª Luciene Maria Patriota (UFCG) Prof. Jackson Cícero França Barbosa (UEPB) Este GT objetiva abrir espaço para a divulgação/discussão de trabalhos concluídos e/ou a
concluir que versem sobre a contribuição da Sociolinguística na área de ensino de língua materna e
estrangeira, permitindo diálogos e oferecendo subsídios aos estudiosos e pesquisadores de áreas afins, com
vistas ao aprimoramento do ensino/aprendizagem e uma melhor interpretação do caráter multidialetal das
línguas. Para isso, os trabalhos podem estar voltados tanto para a formação de professores, para a análise
de materiais didáticos, como para discussões em torno da questão da reeducação linguística e o preconceito
linguístico.
10. Diálogos entre a sintaxe gerativa e a sintaxe funcional Prof. Dr. Carlos Filipe Pinto (UFBA) Prof. Dr. Secundino Vigón Artos (UFCG) Os estudos linguísticos contemporâneos apresentam duas perspectivas de estudos sintáticos, que
dependem do ponto de partida assumido por cada uma delas. Por um lado, a sintaxe formal, que parte do
conceito de categoria e, por outro, a sintaxe funcional cujo ponto de partida será o de função. Apesar de o
gerativismo e funcionalismo oferecerem novas abordagens para o estudo da Teoria Gramatical, a realidade é
que ainda os modelos tradicionais da sintaxe continuam dominando o ensino gramatical no Brasil,
especialmente na educação básica no que se refere tanto ao ensino de língua materna como ao de língua
estrangeiras. Neste grupo de trabalho propomos um diálogo entre os estudos sintáticos gerativistas e
funcionalistas que apresentem alternativas a essa visão tradicional do ensino da sintaxe, questionando essa
perspectiva tradicionalista do ensino de língua materna e línguas estrangeiras, a partir da reflexão teórica
e/ou empírico-descritiva de línguas particulares.
11. Discurso e ensino de língua portuguesa: objetos, instrumentos, sujeitos e práticas. Prof. Dr. Aloisio de Medeiros Dantas (UFCG) Profª Drª Telma Cristina G. da Silva (UFCG) O ensino de língua portuguesa é atravessado por discursividades heterogêneas, que estabilizam e
movimentam sentidos sobre seus objetos (a leitura, a escrita, a língua), seus sujeitos (professor, aluno),
instrumentos (LDs, gramáticas) e práticas. Considerando tal pressuposto, esse grupo de discussão pretende
acolher trabalhos que, tendo como referencial teórico o campo dos Estudos do Discurso em qualquer de suas
diferentes vertentes, problematizem a produção discursiva de sujeitos e sentidos sobre/no ensino de
português, em diferentes períodos históricos, inclusive na contemporaneidade, em qualquer das dimensões
mencionadas.
12. Análise dialógica do discurso e ensino de línguas Profª Drª Maria de Fátima Almeida (UFPB)Prof. Ms. Manassés Morais Xavier (UFCG) O objetivo deste Grupo de Trabalho (GT) consiste em fomentar reflexões que estabeleçam a relação
entre discursos e ensino de línguas, na tentativa de, a partir de ações pedagógicas, formar sujeitos
leitores críticos via análises de enunciados concretos de diversos eventos sociais, como o midiático, o
religioso, o político etc. materializados em diversos gêneros discursivos. Para tanto, aceita trabalhos que
divulguem pesquisas – em andamento e/ou concluídas – fundamentadas na perspectiva da Análise de Dialógica do
Discurso (Bakhtin e o Círculo) e que trabalham os processos de produção de sentidos e de suas determinações
histórico-sociais.
13. Literatura e ensino: práticas e reflexões no contexto da sala de aula Profª Drª Izabel Cristina da Costa Bezerra Oliveira (UERN) O ensino de Literatura tem ocupado lugar nas discussões que envolvem educação em nosso país no
que se refere à formação leitora dos alunos desde a educação básica ao ensino superior. No entanto, essa
área ainda carece de uma atenção mais específica e contundente da parte de professores e governo de um modo
geral. Compreender as questões metodológicas que envolvem a prática docente nessa área do ensino, torna-se
uma das preocupações iminentes. Tais preocupações perpassam pela necessidade de professores e educadores
considerarem as ideias de Candido (1995) sobre a importância e função social da literatura, principalmente
porque desenvolve em nós a quota de humanidade na medida em que nos torna mais compreensivos e abertos para
a natureza, a sociedade, o semelhante. Nessa perspectiva, o presente GT recebe trabalhos que tratem de
experiências vivenciadas em aulas de Literatura no contexto da Educação Infantil, Ensino Fundamental, Médio
e/ou Superior, visando contribuir para uma prática pedagógica dinâmica, crítica e atrativa para o corpo
discente. O objetivo é analisar e socializar contextos praticados no cotidiano de uma sala de aula,
oportunizando a toda comunidade acadêmica apreender práticas e atividades que têm contribuído para o bom
desempenho dos alunos, e em certa medida, refletir sobre experiências que não foram bem sucedidas nos mais
variados contextos de aulas de Literatura. O GT aceita trabalhos cujas discussões estejam fundamentadas nas
ideias e teorias de Bakhtin, Benjamin, Bosi, Candido, Marcuschi, Cosson, entre outros autores que tratem
reflexões importantes relacionadas ao ensino de literatura.
14. Literatura e gêneros literários em aulas de línguas/ culturas: perspectivas e reflexões Profa Dra Ana Luiza Ramazzina Ghirardi (UNIFESP)Prof. Ms. Nyeberth Emanuel Pereira dos Santos (UFCG) Frequentemente abordadas como objetos distintos, língua e literatura devem ser estudados como
áreas que se complementam dada a multiplicidade de sentidos e à característica polissêmica da literatura
enquanto importante veículo para a formação pluricultural no processo de ensino e de aprendizagem, tanto no
âmbito de Língua Materna quanto no de Línguas/Culturas Estrangeiras. Nessa perspectiva, este GT pretende
discutir pesquisas e experiências que contemplem os estudos literários em contextos de ensino de língua
materna e de línguas/culturas estrangeiras, incluindo-se as Línguas de Sinais e a Intercompreensão de
Línguas Românicas; assim como estudos sobre os gêneros literários no ensino da língua e demais investigações
que caminhem nesse sentido. Acolheremos prioritariamente reflexões teóricas e reservamos um espaço aos
relatos de pesquisas e às experiências que abordem o tema em debate.
15. Poesia lírica: pesquisa e ensino Prof. Dr. José Hélder Pinheiro Alves (UFCG)Profª. Drª. Kalina Naro Guimarães (UEPB) A articulação entre ensino e pesquisa se constitui em problema cada vez mais desafiante. No
âmbito da poesia, teses e dissertações muitas vezes assumem um caráter técnico que pouco contribui para o
crescimento do leitor pouco familiarizado com a teoria. Nosso GT abre-se para divulgação de pesquisas –
concluídas ou em andamento – que articulem o viés crítico a propostas de ensino da poesia nos mais
diferentes níveis de ensino. Espera-se que as perspectivas metodológicas adotadas e/ou propostas propiciem
um avanço na formação de leitores de poesia.
16. Ensino de literatura e formação de professores Profª Ms. Tássia Tavares de Oliveira (UFCG)Profª Ms. Aluska Silva Carvalho (UFCG) O ensino de literatura nas escolas vem passando por transformações impulsionadas pelas pesquisas
sobre o ensino da leitura e o letramento literário. Entre as novas exigências está a assunção da identidade
leitora e mediadora por parte dos professores. A formação do profissional de letras, portanto, precisa
contemplar a discussão de metodologias para o ensino do texto literário. Este GT se interessa por pesquisas,
concluídas ou em andamento, que reflitam sobre o ensino de literatura nos níveis fundamental e médio;
relatos de experiência docente desenvolvidos por profissionais do ensino ou por alunos de estágio
supervisionado/prática de ensino na área de literatura; propostas de ensino que privilegiem a leitura do
texto literário e reflitam as metodologias de ensino; reflexões sobre a formação inicial dos professores de
literatura nos cursos de letras.
17. Ensino de  Língua e Literatura nas aulas de ELE: discussões, relatos e abordagens Profª Drª Isis Milreu (UFCG)Prof. Ms. Fabrício Dantas (UFCG) Considerando a função humanizadora da literatura, importante não só na formação do profissional
de Letras, mas para todos os aprendizes de uma língua estrangeira, bem como a possibilidade de, por meio das
obras literárias, ampliarmos nossos horizontes culturais e adquirirmos ou aprimorarmos o vocabulário e
conhecimentos linguísticos, este GT visa refletir sobre as relações que podem ser estabelecidas entre o
ensino de espanhol e as suas literaturas. Neste sentido, aceitaremos trabalhos que apresentem pesquisas,
relatos de experiências e propostas que integrem a língua e a literatura nas aulas de ELE.
18. Estudos de literaturas de expressão portuguesa e de outras literaturas africanas Profa Dra Josilene Pinheiro-Mariz (POSLE/UFCG)Profa Dra Zuleide Duarte (UEPB) Considerando-se a literatura como uma das melhores formas de manifestação da língua e que a
língua portuguesa abriga mais de duzentos e cinquenta milhões de falantes no mundo, este Grupo de Trabalho
receberá propostas que estudem as literaturas de língua portuguesa, tanto a brasileira e a portuguesa,
quanto as originárias de outros países/ continentes. Neste espaço, busca-se refletir sobre a questão
identitária a partir da literatura em relação com a sociedade, incluindo-se investigações que tenham nas
literaturas africanas e da sua Diáspora (em língua francesa, inglesa e outras), o principal foco de
pesquisa. Intenta-se ainda promover os múltiplos desdobramentos tais como: memórias e identidades nos
estudos literários lusófonos, francófonos, anglófonos e outros; imaginário e mítico nas artes e na cultura
nessas literaturas em consonância com a área de Letras e afins.
19. O PIBID na educação básica: formação docente e ensino da língua portuguesa Profª Drª Márcia Candeia Rodrigues (UFCG)Profª Drª Ana Paula Sarmento Carneiro (UFCG) O GT abrigará discussões, trabalho ou pesquisas (em desenvolvimento ou concluídas) sobre como o
programa de iniciação à docência – PIBID – tem impactado a formação dos professores de língua portuguesa,
assim como tem influenciado a reflexão sobre ou o surgimento de novas práticas de ensino da língua materna.
20. Análise Linguística e Ensino Profª Drª Maria Augusta Reinaldo (UFCG-POSLE)Profª Drª Maria Angélica de Oliveira (UFCG), Profª Ms. Laura Dourado Régis (UEPB/PROLING-UFPB) Este Grupo de Trabalho tem o objetivo geral discutir conceitos e práticas de análise
linguística, explorando o estudo de unidades linguísticas sob diferentes perspectivas teóricas.
Fundamenta-se em dois eixos: um constituído por descrições de unidades linguísticas segundo uma perspectiva
teórica e outro, por práticas de análise linguística associadas ao ensino de língua portuguesa. Poderão ser
inscritos trabalhos que abordem (a) conceitos de análise linguística; (b) descrição do componente
linguístico de gêneros textuais; (c) relação entre gramática, análise linguística e gêneros textuais; (d)
estudo de propostas de práticas de análise linguística; e (e) análise linguística, gêneros e ensino de
língua portuguesa.
21. A literatura infantil e leitura no ensino fundamental Profª Drª Márcia Tavares (UFCG) A literatura infanto-juvenil brasileira é permeada por autores reconhecidos internacionalmente por suas características temáticas e valores estéticos. A expansão de gêneros e de temas oriundos de linguagens como a do cinema e da TV, abriu um leque para as narrativas de ficção científica e de suspense, e de ampliação do texto poético através de recursos da oralidade, da metalinguagem e de intertextualidade entre outros. Neste grupo de trabalho o objetivo é congregar pesquisas em andamento ou finalizadas que versem sobre as temáticas contemporâneas encontradas na literatura infantil, especificamente sobre o texto ou sobre a relação entre texto e imagem, além de pesquisas que tenham como base os pressupostos da Estética da Recepção e questionamentos sobre a configuração do leitor pressuposto na literatura infantil e na própria formação do leitor.
Minicurso Título
MC1 Materiais Didáticos de Língua Portuguesa: multimodalidade e tecnologia
MC2 Livro Didático e planejamento de ensino de língua
MC3 Como aprender a produzir textos escritos em contextos acadêmicos?
MC4 Produzindo seminários na educação básica: desafios e perspectivas
MC5 A normalização como prática na produção de resumos e artigos acadêmicos
MC6 Produção e avaliação de enunciados em atividades de língua portuguesa para o ensino fundamental II
MC7 Metodologias de pesquisa em LA: Grupos focais & sessão reflexiva
MC8 Contribuições da Sociolinguística para o ensino de língua materna/estrangeira
MC9 Literatura e outras linguagens no ensino de línguas
MC10 Lírica feminina na sala de aula: proposta metodológicas
MC11 A transposição de Tesnière aplicada à língua portuguesa
MC12 Discurso e manual de linguística
MC13 Os gêneros discursivos nas tramas dialógicas da mídia: a informação sob diversos vieses axiológicos
MC14 Tradução e Cinema

Realização

Apoio